domingo, 24 de julho de 2011

Meu gim















D
eito-me toda noite e sonho contigo.

Na verdade, fico aos seus pés e nem levanto.
E tudo por causa desse teu encanto.
Penso se eu ainda pudesse te dar abrigo.

Minha companhia é a escuridão.
E não é que eu seja melancólico,
Mas você me deixa alcoólico
E eu bebo-te sem razão.

Será a última vez que me embriago de ti.
Afinal apenas sóbrio eu evoluí,
Mas do que adianta crescer se você não estará aqui?

Fique perto, mas nem tanto,
Pois ainda o teu encanto
Faz cantar todo o meu canto.

4 comentários:

  1. Maria Paula Vieira25 de julho de 2011 01:15

    Lindo, Eric!
    Parabéns, por todos os textos! (:

    ResponderExcluir
  2. Poxa, eu tinha comentado mas acho que não foi :(

    Curti o Eric poeta, acho válido vc se dedicar a esses caminhos também!

    ResponderExcluir
  3. Muito legal cara.
    Não costumo gostar de poemas... mas adorei.
    "apenas sóbrio evoluí"

    ResponderExcluir
  4. "apenas sóbrio evoluí" - Os fortes entendem o quão difícil foi deixar assim haha xD

    Very good!

    ResponderExcluir

Diga, eu anoto! ;D